google.com, pub-2942428232633296, DIRECT, f08c47fec0942fa0 Vespa Asiática - Identificação
Quinta das Ginjas
Blog da Quinta

Na Quinta estão hoje....

The Weather Forecast....

  • Quinta das Ginjas

Vespa Asiática - Identificação

A Vespa velutina nigrithorax, comummente conhecida por vespa asiática, nativa da Ásia e introduzida acidentalmente na Europa em 2004, tem uma progressão geográfica reconhecida de aproximadamente 100Km por ano. Trata-se de um agressivo predador da Apis mellífera bem como de outros polinizadores. O seu perigo para o Homem tem sido reportado esporádicamente, particularmente quando se sente ameaçada tendo sido já registadas "perseguições" em enxame por algumas centenas de metros.


Identificação

A Vespa velutina nigrithorax adulta tem um comprimento de 45mm e envergadura de 75mm tendo o seu ferrão cerca de 6mm de comprimento (OSTERLOFF 2019).

A sua cabeça é negra com máscara alaranjada e fortes mandíbulas capazes de decepar as suas presas em segundos.

Ligeiramente mais pequena que a “nossa” vespa europeia – crabro, a sua anatomia apresenta-nos um abdomen preto em que somente o 4º segmento é amarelo (INIAV 2014). As suas patas são amarelas nos terços distais.

Na estrutura comunitária da velutina, à semelhança das nossas Apis mellifera, encontramos obreiras, machos e rainhas com algumas particularidades que os distinguem. Contudo o seu tamanho não apresenta diferenças significativas.


Vespa velutina nigrithorax - Rainha

Vespa velutina nigrithorax - Obreira

Vespa velutina nigrithorax - Macho

Segundo COUTO (2016), a cabeça da rainha e obreira não apresenta diferenças assinaláveis residindo nas antenas o maior dimorfismo sexual: as fêmeas apresentam antenas com 10 segmentos sendo que os machos apresentam 11 sendo por isso mais compridas. A forma da cabeça dos machos é igualmente de uma forma triangular mais alongada.


Foi igualmente testado em laboratório, a sua atractibilidade a odores presentes na colmeia como as feromonas exaladas pelas larvas da abelha e pela Rainha, pólen e ao mel. Estes resultados poderão servir para nos ajudar a desenvolver formas de combate na adaptação de iscos direccionados a esta espécie.


Ninho Primário (Fevereiro a Maio) e Ninho Definitivo (Junho a Outubro)


Os ninhos são diferentes conforme se trate do Primário (desenvolvido pela rainha fundadora de Fevereiro a Maio) ou do Definitivo (de Junho a Outubro). Com cerca de 5-10cm diâmetro os Ninhos Primários vão permitir o nascimento das obreiras que irão nesse local ou em local próximo, construir o Ninho Definitivo que poderá ter diâmetro de 50-80cm. Ao contrário do ninho da vespa crabro, o ninho definitivo da Vespa velutina tem abertura lateral.


Sabe-se que cada rainha fundadora poderá dar origem a um novo ninho de cerca de 13000 indivíduos, sendo que a sua maioria serão fêmeas estéreis e, cerca de 300 fêmeas férteis. Serão estas as fêmeas que depois de fecundadas abandonam os ninhos definitivos hibernando de Outubro a Janeiro em abrigos como pilhas de lenha, pedras, fendas na parede ou mesmo no solo (MARQUES, A. et al, 2018).

É pois neste período de pós-hibernação que as medidas de controlo e contenção deverão ser aplicadas.


Tão importante como CONTROLAR e conter esta espécie invasora, é também DEFENDER todos os outros insectos que connosco co-habitam!


Não é demais esclarecer que o alistamento dos indivíduos desta espécie servem somente de indicador da presença de ninho nas proximidades.

Caso aviste um ninho, tente registar fotográfica e geograficamente (com pontos de referência) e REPORTE à Protecção Civil Municipal do seu concelho de residência (câmara municipal ou junta de freguesia).


#savethebees #vespaasiatica


Referências

COUTO, A.. Étude neurophysiologique et comportementale du frelon asiatique Vespa velutina. Neurobiologie. Université Paris-Saclay, 2016. Français. NNT : 2016SACLS166


INIAV. Vespa crabro vs Vespa velutina - caracteristicas para identificação, com lupa binocular. INIAV. 2015


MARQUES,A., MOREIRA, T., CASACA, J. Manual de boas Práticas na destruição de ninhos de Vespas Velutinas. Federação Nacional dos Apicultores de Portugal. 2018


National Bee Unit. A simple monitoring trap for the Asian Hornet. Animal & Plant Health Agency. 2014


OSTERLOFF, E. Why asian hornets are bad news for British bees? Natural History Museum. 2019. UK

Copyright @ 2012-2020 Quinta das Ginjas - Reservados todos os Direitos

MARCA NACIONAL Nº 494371 (INPI)

quintadasginjas@gmail.com | +351 966078170 | Alcobaça - Portugal